sexta-feira, 30 de agosto de 2013

NOGNE INDIA PALE ALE

Descrição comercial

Uma Ale rica, maltada e muito amarga. Lúpulos Cascade conferem retrogosto longo, frutado e condimentado. Ideal com churrasco ou carne defumada. Ingredientes: maltes Maris Otter, Munich, wheat e caramel malt; lúpulos Chinook e Cascade; levedura inglesa de Ale e a água local de Grimstad. 

Diagnóstico

Essa India Pale Ale (IPA) norueguesa tem espuma média, aerada e branca, de reduzida longevidade. Boa formação de colarinho. Corpo turvo, com partículas grandes, denso e de cor âmbar. Aroma: casca de laranja, flor de laranjeira, sabonete, laranja e lúpulo moderado. Sabor inicial: moderados dulçor e amargor. Sabor final: leve dulçor e pesado amargor; longa duração. Paladar: corpo médio-leve, textura aguada, forte carbonatação e final metálico. Foi minha primeira Nogne, bem como a primeira IPA com partículas que já degustei. Forte dulçor de laranja acompanhado por amargor fino de casca de laranja. Cerveja caprichada, semelhante às melhores IPAs americanas, condimentada, picante, com toques de noz-moscada no paladar. Presença violentíssima de lúpulo no final, com o dulçor diminuindo e o amargor aumentando. O dulçor aparenta ser ligeiramente maltado no final. Saborosa cerveja norueguesa. Copos recomendados: Shaker e Tulip. 

Nota: 165 skol ou 4.0/5.0

Leia mais em

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

GAUDENBIER BOCK



Diagnóstico

Essa Dunkler Bock paranaense tem espuma média, aerada e esbranquiçada, de reduzida longevidade. Boa formação de colarinho. Corpo claro, de média densidade e cor marrom-alaranjada clara. Aroma: caramelo, pão escuro e malte pesado. Sabor inicial: moderado dulçor. Sabor final: moderado dulçor e leve amargor; média duração. Paladar: corpo médio-leve, textura aguada, forte carbonatação e final metálico. Aroma metálico surge como defeito. Dulçor maltado, caramelado, saboroso. Interessante amargor surgido no final contrabalanceia bem o dulçor. Sente-se bastante o teor de 6,4%, mais que o esperado, descartando-a como session beer. Média drinkability, no entanto. Copos recomendados: Dimpled Mug e Snifter.

Nota: 40 skol ou 3.0/5.0

Leia mais em

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

SAMUEL ADAMS BLACK LAGER

Descrição comercial

Essa Lager tradicional tem corpo médio com característica fortemente tostada. Sua cor escura e seu rico sabor maltado são provenientes de maltes caramelo e chocolate especialmente tostados. Essa cerveja é levemente lupulada com lúpulos Noble Bavarian, que conferem leve condimentação e final suave e limpo.

Diagnóstico

Essa Schwarzbier norte-americana tem espuma média, aerada e marrom-clara, de reduzida longevidade. Boa formação de colarinho. Corpo opaco, de média densidade e cor marrom-escura. Aroma: malte pesado, caramelo e chocolate meio-amargo. Sabor inicial: moderado dulçor e salgado. Sabor final: moderado dulçor, leve amargor e salgado; longa duração. Paladar: corpo médio, textura aguada, forte carbonatação e final metálico. O toque salgado contrabalanceia perfeitamente o forte dulçor maltado e achocolatado, conferindo um grande diferencial nesse estilo que prima por ser bem repetitivo  Na metade da cerveja, infelizmente, surge uma leve presença azeda no paladar, mas nada que prejudique o sabor. Copos recomendados: Dimpled Mug, Lager Glass e Stein. Garrafa de 330ml adquirida por R$ 11,00 através do site clubedomalte.com.br.

Nota: 40 skol ou 3.6/5.0

Leia mais em

terça-feira, 27 de agosto de 2013

BADEN BADEN CELEBRATION INVERNO

Diagnóstico

Essa Doppelbock brasileira tem espuma média, aerada e marrom-clara de reduzida longevidade. Boa formação de colarinho. Corpo opaco, de média densidade e cor marrom-escura. Aroma: malte pesado, caramelo, chocolate ao leite, café suave. Sabores inicial e final: moderado dulçor e leve amargor; longa duração. Paladar: corpo médio-leve, textura aguada, forte carbonatação e final metálico. Sabor semelhante ao de uma schwarzbier, mas ligeiramente mais alcoólico (mesmo dulçor maltado e achocolatado com leves toques de café), não me lembrou doppelbock. Copos recomendados: Dimpled Mug, Stein e Stem Glass. Garrafa de 600ml adquirida por R$ 21,00 através do site clubedomalte.com.br.

Nota: 12 skol ou 2.9/5.0

Leia mais em

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

BENEDIKTINER WEISSBIER

Descrição comercial

Ingredientes: água, malte de trigo, cevada maltada, lúpulos e levedura. 

Diagnóstico

Essa German Hefeweizen alemã tem espuma imensa, aerada e esbranquiçada, de reduzida longevidade. Excelente formação de colarinho. Corpo turvo, denso e ocre-escuro. Aroma: banana, levedura moderada e massa de pão. Sabor inicial: moderado dulçor. Sabor inicial: moderado dulçor e leve amargor; média duração. Paladar: corpo médio-leve-, textura aguada, forte carbonatação e final metálico. Sabor típico de banana e uva-passa, sem defeitos. Copo recomendado: Weizen. Garrafa de 330ml adquirida por R$ 9,00 através do site clubedomalte.com.br.

Nota: 45 skol ou 3.4/5.0

Leia mais em

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

PAGAN IPA

Diagnóstico

Essa India Pale Ale (IPA) brasileira tem espuma pequena, aerada e branca, de reduzida longevidade. Moderada formação de colarinho. Corpo translúcido, de média densidade e cor âmbar-escura. Aroma: lúpulo pesado, grama, casca de laranja e caramelo. Sabor inicial: moderados dulçor e amargor. Sabor final: moderado dulçor e pesado amargor; longa duração. Paladar: corpo médio-leve, textura aguada, forte carbonatação e final metálico. Dulçor e amargor de casca de laranja, este último também bem lupulado. Cerveja caprichada, sem nenhuma falha. Amargor de 52 IBU agradável, digno de session beer. Garrafa de 330ml adquirida por R$12,00.

Nota: 60 skol ou 3.5/5.0

Leia mais em

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

3 LOBOS BRAVO

Descrição comercial
 
Cerveja Backer 3 Lobos Bravo, do tipo Imperial Porter, com variada composição de maltes especiais e maior lupulagem, maturada em barris de umburana, cor escura e teor alcoólico de 9%.

Diagnóstico

Essa Imperial/Strong Porter brasileira tem espuma pequena, aerada e marrom-clara, de reduzida longevidade. Moderada formação de colarinho. Corpo opaco, denso e preto-amarronzado escuro. Aroma: malte pesado, caramelo, madeira, toffee e café forte. Sabor inicial: moderado dulçor e leve amargor. Sabor final: moderados dulçor e amargor; longa duração. Paladar: corpo médio, textura oleosa, forte carbonatação e final metálico e moderadamente alcoólico. Foi a segunda vez que a bebi, está mais complexa, melhorada, encorpada e com mais sabor amadeirado. Garrafa de 330ml adquirida por R$ 10,00 através do site clubedomalte.com.br. Copos recomendados: Shaker e Snifter.

Nota: 90 skol ou 3.9/5.0

Leia mais em
http://www.ratebeer.com/beer/3-lobos-bravo/160694/

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

SKETCH 'OWE

Esse foi o último bar com cervejas artesanais que visitamos em nossa viagem ao Leste Europeu. Minha câmera já havia começado a dar problemas e portanto não há vídeos de lá, somente fotos. Enfim, após uma longa caminhada pelas ruas de Varsóvia, na Polônia, chegamos ao recinto, que era muito sofisticado, frequentado por pessoas de alta renda. Por outro lado, achei o ambiente demasiado escuro e o som era alto demais para uma casa de cervejas artesanais.
O lugar estava lotado, e levamos sorte em pegar a última mesa livre, que estava reservada para cerca de 1h30 depois que chegamos, portanto não pudemos ficar muito tempo.
Havia um estoque relativamente bom de cervejas artesanais que, no entanto, eram só polonesas. Havia também chopes de lá, inclusive já foi resenhado aqui (Artisan Pale Ale). A comida era saborosa, nada de extraordinário - há vários pratos típicos no cardápio
A garçonete falava um inglês satisfatório, mas aconteceu uma situação de choque cultural curiosa. Fiz o pedido de uma cerveja e do prato, e vi que a cerveja estava demorando para chegar - estávamos sentados bem próximos ao balcão e ao freezer de cervejas. Chamei a garçonete e perguntei o porquê da demora e ela me explicou que o costume era trazer a cerveja junto com os pratos. Pedi-lhe então que me trouxesse a cerveja antes e, meio a contragosto, ela o fez.
Fora essa situação e o som alto, um lugar bacana para se conhecer. Ah sim, os preços eram altos para o padrão polonês e europeu em geral, mas, ainda assim, mais baratos que no Brasil. Mais um lugar que vale a pena conhecer!

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

PIVOVARSKY KLUB

Esse maravilhoso bar, localizado em Praga, capital da República tcheca (http://www.ratebeer.com/Places/ShowPlace.asp?PlaceID=7061), possui, antes de mais nada, uma imensidade de opções. No fundo da foto, pode-se ver muitas prateleiras, nas quais estão expostas cervejas tchecas, que os clientes podem levar para casa (como eu queria ter um carrinho de mão ali comigo). Já no freezer, com opções para se beber no lugar (recomendo chegar cedo, pois o lugar fecha à meia noite e só pudemos ficar uma hora e pouco por ali), encontram-se cervejas de outros países, principalmente belgas - com uma seleção e tanto.
O lugar é muito bem frequentado, tem boa comida, e o atendimento foi bom, na medida do possível. Isto porque o lugar estava cheio e havia só um garçom, que se via como um malabarista tentando atender a todos. Ele falava bem inglês e nos deu algumas dicas de cerveja. A comida era saborosa, mas demorou a chegar, até devido ao grande fluxo de pessoas. Lá pude degustar cervejas maravilhosas, já resenhadas nesse beerlog, como a Duchesse de Borgogne e a Faro Lindemans, entre outras.
Uma ótima opção para quem visitar a cidade. Super recomendado!

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

MUSEU DA CERVEJA


video
O vídeo da postagem da hoje foi feito em Lisboa, capital portuguesa. No museu, localizado em uma belíssima praça, chamada Terreiro do Paço, são também vendidas cervejas de várias nacionalidades, entre elas artesanais portuguesas, como a que degusto no vídeo, a Sovina Amber, já resenhada nesse beerlog.
No andar de cima, fomos recepcionados por uma simpaticíssima atendente, a qual entrevistei em outro vídeo que tentarei disponibilizar aqui nos próximos dias, que devido ao tamanho ainda não consegui fazê-lo. A atendente nos ciceroneou por uma série de estandes que continham uma memorabilia de cervejas e equipamentos de países falantes de língua portuguesa, todos de grande valor histórico. O tour também consistiu de um pequeno passeio por uma estrutura que explicava o processo de fabricação de cerveja, com um caldeirão de lúpulo, preparação de mosto, etc., culminando com a degustação de uma cerveja em um copinho de cerâmica que nos foi cedido ao final do passeio.
Fizemos essa visita ao final de um longo dia de caminhada pela cidade e ainda assim foi muito instrutivo e também refrescante. Recomendo aos que visitem a capital portuguesa.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

BELGA SOROZO - BELGIAN BRASSERIE

video

Olá amigos!
Para os que estão estranhando hoje a presença de um vídeo no lugar da já tradicional foto (que nem sempre têm aparecido nos últimos posts devido à dificuldades técnicas), informo que estarei falando nas próximas ocasiões sobre alguns lugares que visitei em meu tour ao leste europeu feito no mês de abril.
Para começar, falarei sobre o excelente bar  Belga Sorozo (Belgian Brasserie, em inglês) na cidade de Budapeste, capital húngara. 
A localização do bar é excelente, apesar da ligeira dificuldade em localizá-lo 
(http://www.ratebeer.com/p/belgian-brasserie-henri-budapest/11594/). Pude degustar cervejas belgas excelentes (a única nacionalidade de cerveja oferecida pelo bar, o que nota-se pelo nome do lugar) à margem do lendário rio Danúbio e tendo como vista o magnífico parlamento húngaro.
Em relação à infra-estrutura do lugar, é excelente. O interior é relativamente escuro, com muitas mesas e dois freezers lotados de cervejas belgas dos mais variados estilos.
Uma ressalva a ser feita diz respeito à comunicabilidade dos garçons, que não eram muito solícitos nem tampouco eram muito inteligíveis no uso do inglês. Mesmo assim, fazendo uso do detalhadíssimo cardápio de lá, não houve erro. Ah, apesar do atendimento meia-boca, poder degustar a cerveja no copo correspondente foi uma grande compensação.
O valor das cervejas, aos acostumados em comprá-las no Brasil, é satisfatório, oscilando entre 3 e 5 euros a garrafa, o que dá pouco mais da metade do valor cobrado por aqui.
Aos amantes de cerveja que visitem essa maravilhosa cidade (minha preferida nesta viagem), é imperdível!

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

CHIMAY BLUE GRANDE RÉSERVE

Descrição comercial

Condicionada na garrafa. Chamada de Grande Réserve em garrafas de 750ml e Magnum Grande Réserve em garrafas de 1,5l. A Chimay Blue se distingue principalmente por sua personalidade de cerveja forte. Essa é uma cerveja cuja fragrância de levedura fresca com toque leve e floral é especialmente agradável. Seu sabor, percebido ao prová-la, só acentua suas sensações agradáveis percebidas no aroma, enquanto revela um toque leve mas agradável de malte tostado. Essa cerveja trapista de alta fermentação, refermentada na garrafa, não é pasteurizada. 

Diagnóstico

Essa Belgian Strong Ale belga, já resenhada nesse beerlog (http://dr-beer.blogspot.com.br/2009/01/chimay-blue.html) em 6 de janeiro de 2009, tem espuma volumosa, aerada e esbranquiçada, de reduzida longevidade. Boa formação de colarinho. Corpo opaco, denso e marrom-ambarizado escura. Aroma: pesado malte, caramelo e chocolate meio-amargo, café suave. Sabores inicial e final: moderado dulçor e leve amargor; longa duração. Paladar: corpo leve, textura aguada, forte carbonatação e final metálico e moderadamente alcoólico. Forte aquecimento alcoólico, amargor amadeirado, bastante malte no paladar. Copos recomendados: Trappist Glass, Tulip e Tumbler. Garrafa de 750ml adquirida por 7 euros no El Corte Ingles, em Coimbra, Portugal.

Nota: 180 skol ou 3.7/5.0

Leia mais em

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

BROOKLYN LAGER - II

Diagnóstico

Essa Amber Lager/Vienna norte-americana, já resenhada nesse beerlog (http://dr-beer.blogspot.com.br/2010/06/brooklyn-lager.html), tem espuma média, esbranquiçada e aerada, de reduzida longevidade. Boa formação de colarinho. Corpo translúcido, denso e amarelo-avermelhado. Aroma: lúpulo pesado, grama, terra e noz-moscada. Sabores inicial e final: leve dulçor e moderado amargor; longa duração. Paladar: corpo médio-leve, textura aguada, forte carbonatação e final metálico. Aroma traz hortelã, condimentado, delicioso amargor lupulado (saboroso sem ser agressivo, lembra o de uma IPA, mas bem mais fraco) permeado por um inédito dulçor herbal, que também lembra hortelã, mas com leves toques de mel. Excelente cerveja, uma das melhores representantes do estilo que já degustei. Boa drinkability. Copos recomendados: Dimpled Mug, Lager Glass e Shaker.

Nota: 120 skol ou 4.0/5.0

Leia mais em

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

ROCHEFORT TRAPPISTES 8 - II

Descrição comercial

A prima da Rochefort 10 com menor gravidade.

Diagnóstico

Essa Belgian Strong Ale, já resenhada nesse beerlog em 23 de setembro de 2008 (http://dr-beer.blogspot.com.br/2008/09/trapistes-rochefort-8.html) tem espuma volumosa, aerada e marrom-clara, de longevidade bem persistente. Excelente formação de colarinho. Corpo opaco, denso e marrom-alaranjado. Aroma: malte moderado, chocolate meio-amargo, laranja, terra e álcool. Sabores inicial e final: moderado dulçor e leve amargor; longa duração. Paladar: corpo médio, textura aguada, forte carbonatação e final metálico e levemente alcoólico. O delicado dulçor achocolatado e maltado disfarça bem o álcool, trazendo também a leve presença de laranja no background. Copos recomendados: Trappist Glass, Tulip e Tumbler. Garrafa de 330ml adquirida no El Corte Ingles, em Coimbra, Portugal, por cerca de 3 euros.

Nota: 140 skol ou 3.7/5.0

Leia mais em